20 outubro 2011

Brasil vence República Domenicana e pega Cuba na final

Jogo decisivo será realizado quinta (20) às 23h


Por Thiago Leme




A Seleção Brasileira confirmou o favoritismo e derrotou a República Domenicana na semi por 3 a 0 (25/19, 25/18 e 25/23).  Com o resultado, as brasileiras enfrentam as cubanas pela final do torneio nesta quinta (20) às 23h.

Quem começou jogando bem foi Fabiana (3 pontos), mas quem mais fez pro Brasil foi a Domenicana, cedendo 13 pontos em erros. Com uma boa distribuição de Dani Lins, decorrente da excelente recepção, todas as jogadoras marcaram pontos. No time do Caribe, a fenomenal líbero Brenda Castillo e a atacante Bethânia De La Cruz (6 pontos) foram as melhores em quadra, mas não evitaram a derrota por 25 a 19 na primeira parcial.

E o segundo set começou com incríveis defesas dos dois lados. Paula Pequeno foi o destaque com 7 pontos  e a seleção abriu rapidamente no placar. Se não fosse pela líbero Castillo, que levanta, defende e passa com uma facilidade monstruosa, o resultado poderia ser pior para as domenicanas, que cometeram menos erros (7). Resultado: 25 a 18.

As caribenhas abriram 3 a 0 no início do terceiro set e parecia que o Brasil estava desconcentrado. Zé Roberto pediu tempo quando a partida estava 6 a 2. Sem resultado, o treinador colocou Fernanda Garay, que fez de bloqueio na primeira bola e a seleção reagiu. Com grande participação da ponteira Mari, o Brasil empatou em  8 a 8. O bloqueio, principal fundamento brasileiro na competição, trabalhou bem, mas não evitou que as domenicanas chegassem à segunda parada com 16 a 13. Depois de muitas broncas do Zé, um novo empate em 18 a 18 e a virada em 20 a 19. O equilíbrio se manteve até o final do set e o Brasil fechou em 25 a 23.

Os destaques da partida foram Milagros (12 pontos), Prisilla Rivera (11 pontos) e Mari (10 pontos), além das líberos Fabi e Castillo. O Brasil fez 36 de ataque, 12 de bloqueio, 1 de saque e 26 de erros das adversárias.

No Pan do Rio, o Brasil perdeu a final por 3 a 2 e ficou com a prata em casa. No histórico, Cuba tem 8 ouros, contra 3 do Brasil. Um grande clássico das Américas, com sentimento de revanche. O clássico Brasil e Cuba terá transmissão da Record. 

Pan-Americano: classificação e tabela


Pan-Americano - voleibol feminino: histórico e quadro de medalha