14 outubro 2011

Brasil estréia no Pan em busca do quarto ouro

Pan de Guadalajara serve de preparação para Brasil e República Domenicana, que disputarão a Copa do Mundo em novembro. EUA, outro classificado, convoca novatas.


Por Thiago Leme


Transmissão dos Jogos Pan-Americanos: Rede Record

A Seleção Brasileira de Voleibol estréia no Pan-Americano contra a República Domenicana, neste sábado (15) às 22h. As duas seleções desfalcaram o Sollys Osasco e o Mirador no Mundial, terceiro e quarto colocados, respectivamente.

A Seleção Domenicana ficou com a prata da Norceca*, derrotada pelos Estados Unidos na final, e carimbou vaga para a Copa do Mundo, deixando as cubanas fora do torneio. No Japão, o jogo com o Brasil está marcado para a última rodada, no dia 18 de novembro, e pode valer vaga para os Jogos Olímpicos.

O Brasil atropelou seus adversários no Sul-Americano e venceu a competição com facilidade. Após as duas últimas derrotas no Grand Prix (2010 e 2011) para os Estados Unidos e o revés contra a Rússia no Mundial (2010), o time de Zé Roberto Guimarães vem sedento por títulos. A partida, porém, não será fácil, já que o voleibol domenicano vem em constante evolução.

O quadro de medalhas do voleibol feminino nos Jogos Pan-Americanos aponta o domínio absoluto das cubanas, com oito medalhas de ouro contra três da seleção brasileira. Em Guadalajara, porém, o Brasil é o maior favorito, já que Estados Unidos não levará as titulares e Cuba não vive bom momento.


A ponteira Jaque nunca participou do torneio. A estreia deveria ter acontecido no Rio em 2007, mas o exame antidoping positivo para furosemida a impediu de atuar às vésperas da estreia. A atleta alegou que a substância entrou em seu corpo graças a um chá verde, justificativa que foi aceita e a fez voltar a jogar no mesmo ano. (fonte R7) 


O outro confronto do grupo A será entre Cuba e Canadá, às 17h, com amplo favoritismo cubano. No grupo B, Estados Unidos e Porto Rico jogam às 15h. México e Peru duelam às 20h. Todos os ingressos para o torneio de vôlei estão esgotados.

Declarações:
Jaqueline
“Estou aqui para ajudar, para complementar mesmo. Chego agora e tem muita jogadora boa lutando pelo seu espaço, então eu vim só para ajudar mesmo. O Zé (Roberto Guimarães, técnico) está aproveitando para me por um pouco em ritmo de jogo, mas estou feliz de estar disputando o meu primeiro Pan, já que infelizmente tive o problema do doping. Quero aproveitar aqui ao máximo. Se eu não estiver jogando, vou estar esperando a minha vaguinha, o meu momento chegar para aproveitar da melhor maneira possível”
 “A equipe vem treinando da sua melhor maneira para vir representar o Brasil. Espero que a gente possa levar esse ouro, que o Brasil merece. É um título que falta para este grupo e também super importante para a preparação para a Copa do Mundo, no fim do ano. Servirá como um treino muito bom e eu espero que o Zé possa aproveitar e observar cada jogadora” 
Zé Roberto:
“Qualquer competição que as jogadoras coloquem a camisa do Brasil tem um grande significado. O torneio terá um bom nível. Estamos em um grupo forte. A estreia contra as dominicanas será um jogo difícil. A competição será um bom teste na nossa preparação para a Copa do Mundo”
Sheilla:
“Vamos jogar o Pan-Americano para conquistar a medalha de ouro. Temos um estímulo ainda maior, já que nenhuma jogadora desse grupo tem esse título. Estamos em um grupo difícil e esse torneio também é importante na nossa preparação para a Copa do Mundo”
"Sabemos que os Estados Unidos não estarão com o time completo, mas Cuba e República Dominicana levarão as equipes principais. As cubanas e as dominicanas serão nossas principais adversárias"
Paula Pequeno:
"A expectativa é de revanche. A gente sabe que Cuba vai ser sempre Cuba, um grande adversário"
"O Canadá não tem tanta tradição, mas acredito que tenha algumas surpresas, então é importante a gente estar muito bem preparada. E com a República Dominicana é sempre um jogo amarrado, difícil e que a gente só ganha se jogar muito bem, focadas no que tem que fazer."
"O grupo está focado e sabemos da importância desses dois campeonatos que faltam. É importante chegarmos cada vez mais fechadas e com o objetivo bem claro na cabeça, que é trazer o ouro nas duas competições"
Fernanda Garay:
“Nunca joguei um Pan, mas esse clima da Vila é muito bom, com essa convivência com atletas de outros países. Para mim, tudo aqui é novidade. Minha expectativa aqui é buscar um título que a minha geração não tem, já que a última medalha de ouro do vôlei feminino nessa competição foi em 1999”
“Claro que o foco é a Copa, porque vale vaga para Londres. Então, o Pan representa uma sequência em nosso treinamento. Mesmo assim, vamos em busca do ouro aqui em Guadalajara”
Acho que a República Dominicana vem com sua seleção principal e por isso será muito forte. A rivalidade com Cuba vem de muitos anos e, apesar de eu não ter vivido muito isso em quadra, a gente acaba comprando a briga. Mas é uma partida em que é preciso vencer sempre e em todas as competições

As convocadas do técnico Zé Roberto:
Levantadoras: Dani Lins (Sesi) e Fabíola (Osasco)
Centrais: Fabiana (Fenerbahçe), Thaisa (Osasco) e Juciely (Rio de Janeiro)
Ponteiras: Mari (Rio de Janeiro), Paula Pequeno(Vôlei Futuro), Fernanda Garay (Vôlei Futuro) e Jaqueline (Osasco)
Opostas: Sheilla (Rio de Janeiro) e Tandara (Osasco)
Líbero: Fabi (Rio de Janeiro)

*América Central, do Norte e Caribe



Pan-Americano - voleibol feminino: histórico e quadro de medalhas