28 setembro 2011

Protesto: imprensa não valoriza o voleibol feminino

Osasco Voleibol
Por Thiago Leme

A estréia do Brasil no Sul-Americano ocorreu nesta quarta-feira com vitória fácil do Brasil por 3x0 (25/07, 25/09 e 25/08) contra o Paraguai. O site do Globoesporte anunciou a partida e prometeu transmissão no Sportv 2, mas na hora passou a reprise do Globo Esporte. Esse não é um caso isolado, geralmente o vôlei feminino é colocado em segundo plano. Pergunta: o vôlei é o segundo esporte do país? e o vôlei feminino ocupa que posição?

O Campeonato Sul-Americano Feminino começou. O Brasil é o favorito absoluto para vencer e conquistar a vaga para a Copa do Mundo, que garante três países nas Olimpíadas de Londres 2012. Provavelmente o Brasil terá partidas fáceis, assim como a seleção masculina teve. A diferença é que o time de Bernardinho teve a transmissão de todas as partidas e a equipe de Zé Roberto iniciou o torneio sem o jogo ao vivo. O pior é que a transmissão foi anunciada na página do Globoesporte e no horário da partida não houve qualquer satisfação, nem na internet e nem na Sportv, que passou a reprise do programa Globo Esporte.

Há alguns dias atrás a Sportv transmitiu a Copa Volta Redonda, um torneio de voleibol masculino do Rio de Janeiro. Houve também a transmissão da final da Liga Nacional masculina, torneio de acesso para a Superliga. O que não é comum são as transmissões de torneios feminino, geralmente colocados em segundo plano e com poucas notícias na imprensa. Aliás, o voleibol de forma geral é muito desvalorizado se considerarmos seus títulos nos últimos anos. Tente acompanhar os campeonatos regionais de clubes ou busque informações de torneios de vôlei no Brasil. Algumas vezes as informações são encontradas apenas na língua italiana ou francesa, países onde as pessoas devem saber mais do que nós em relação ao esporte brasileiro. Pra quem discorda, pergunte a seus amigos quem são os atuais campeões Sul-Americano de Clubes, que representarão o Brasil no Mundial de Outubro, e observe quantos sabem a resposta.

O voleibol é mesmo o segundo esporte do país? se considerarmos a cobertura dada a modalidade a resposta é negativa, mas se observarmos seus títulos e o domínio no cenário mundial teremos a impressão que é o primeiro esporte. A questão é que não criamos vínculo com o esporte, não transformamos torcedores em atletas e contamos com a sorte para ter uma grande geração (quantidade). E se considerarmos o voleibol feminino o problema é mais grave, prova disso é o fato da Sportv transmitir a reprise de um programa em vez de um jogo da seleção ao vivo. Aqui no Brasil o que não é futebol não tem valor, pelo menos para a imprensa esportiva.

Adendo (21:40): a emissora que mais transmite o Voleibol Feminino é a Band Sports, que transmite o Campeonato Europeu de Seleções e foi a única emissora a transmitir o Mundial de Clubes no ano passado.





3 comentários:

Fábio Silva disse...

O dia que a federação abrir os olhos e resolver dar os direitos televisivos pra emissoras sérias que estejam realmente comprometidas com o nosso volei e não com o monopolio para proibir outras emissoras de transmissão em canal aberto.

paulo gustavo pereira disse...

Como é que podemos apoiar esse magnifigo esporte se as emissoras apostam tudo no futebol? Isso não é de hoje. O "nosso país do futebol" não dá a mínima para outros esportes, por que governos passados acharam mais interessante esse esporte do que preparar futuras gerações para eventos esportivos importantes como os Jogos Olímpicos. Fico com vergonha de imaginar o vexame que passaremos aqui no Brasil, quando começar as Olimpiadas de 2016. Sei que o volei não vai me decepcionar, como nunca o fez, seja o masculino ou o time feminino. E por ser um esporte importante e pelo que já trouxe para o país, o volei merecia muito mais do que tem hoje.

teresa disse...

Estou de pleno acordo com os comentario acima, e tem mais alguém conhece os JOGOS UNIVERSITARIOS BRASILEIRO?
Éuma verdadeira OLIMPIADA entre Estudantes de todo o Brasil. A Globo que se diz a maior emissora de televisão e grande patrocinadora de Cultura não da uma linha sequer sobre esse grande evento Universitário.
Estou indignada!