29 setembro 2011

Brasil derruba Chile e se garante na semifinal


O segundo baile do Brasil no Sul-americano do Peru teve protagonistas novas em quadras. Pela primeira vez, Sheilla, Mari e Thaísa foram escaladas pelo técnico Zé Roberto. E, pela segunda vez, o Brasil aplicou uma goleada sobre um rival.

            
Mais nova vítima das favoritas ao título, o Chile acabou derrotado por 3 sets a 0 (25/8, 25/9 e 25/9), nesta quinta-feira (29), em Callao. E o resultado garantiu a equipe verde-amarela nas semifinais. Agora, para brigar pela primeira posição do Grupo A, o Brasil desafia a Argentina nesta sexta, na última partida da fase classificatória.

Sheilla, Mari e Thaísa estreiam
O Brasil apostou em uma formação diferente para enfrentar o Chile, com Dani Lins, Jucy, Thaísa, Jaqueline, Mari, Sheilla e Fabi. Mas foi o Chile o primeiro a abrir o placar. Não demorou para a seleção colocar ordem na disputa e jogar pressão para cima das chilenas, após dois ataques certeiros de Jaque pela entrada (6/2).

Pressionadas, as chilenas sentiram o baque e passaram a errar. E foi com uma falha das oponentes que o Brasil foi para a primeira parada em vantagem (8/2). O jogo foi mais uma vez parado no nono ponto verde-amarelo. A parada, porém, não diminuiu o ímpeto de Sheilla e cia., que seguiram bem à frente no marcador.

E muito por conta do bom trabalho de Jucy no saque. Com dois aces da central, a seleção foi a 16 a 2. O Brasil seguiu sem freio, para azar do sexteto chileno, que tomou sonoros 20 a 3, após largada de Sheilla pela saída. Mas, depois disso, a seleção colecionou erros e deixou Zé Roberto nervoso.

Mesmo com 20 a 6 no placar, o técnico pediu tempo e despejou bronca. O time voltou a se concentrar melhor e marcou de novo pontos na sequência. Assim, em apenas 18 minutos de jogo, Mari explorou o bloqueio do Chile e anotou 25 a 8, na tranquila parcial.

Garay entra no lugar de Mari
E teve novidade no sexteto brasileiro para o segundo set. Depois de estrear no Sul-americano, Mari saiu para a entrada de Fernanda Garay. Mas foi outra ponteira que apareceu bem. Com Jaqueline pela entrada, em uma bola mais curta de Dani Lins, a seleção abriu rápidos 3 a 0 sobre o Chile.

Na vontade de acertar, Jaqueline errou dois ataques na sequência. O Chile aproveitou para marcar três pontos e ficou a apenas cinco das rivais na primeira parada técnica. E Dani Lins optou por repetir a jogada pelo meio fundo com Jaque, que desta vez bateu firme para marcar o 12º tento verde-amarelo.
 

Com 12 a 4 no placar, Sassá assumiu o lugar de Jaque na ponta. E foi de dentro da quadra que a camisa 10 viu Fernanda Garay marcar de ace 15 a 5. Sheilla fez ainda melhor e, pela saída da rede, despejou potência para fazer 16 a 5. Dani Lins também quis deixar sua marca e, de segunda, derrubou toda a defesa rival, anotando 17 a 5.

A falta de combate da equipe fez o técnico chileno pedir mais um tempo. O Brasil, porém, seguiu arrasador em quadra e abriu 15 pontos sobre as pobres rivais. Ainda deu tempo para Sheilla mostrar categoria e largar sobre o bloqueio rival para marcar o 23º tento do Brasil. Com mais dois, a seleção fechou em 25 a 9.

Brasil não perde o ritmo
Zé Roberto gostou de Sassá e preferiu mantê-la no terceiro set, assim como Fernanda Garay. Já Dani Lins saiu para a entrada de Fabíola. E a troca de armadoras não comprometeu o jogo amarelo, tampouco diminuiu o ritmo das brasileiras, que foram a 5 a 1 depois de um bloqueio seguro de Thaísa e Fernanda Garay.

E foi com a ponteira que a seleção anotou 7 a 2, resultado de um ataque potente pela entrada da rede. Apesar da superioridade técnica, o Brasil não tirou o pé do acelerador e seguiu jogando potência para cima das rivais. O bloqueio também levou vantagem e, com Sassá firme na rede, parou as chilenas para fazer 12 a 5.

A camisa 10 mostrou também categoria no ataque e deixou no chão a defesa das oponentes, levando a seleção à segunda parada com 16 a 7 no marcador. Após mais um novo tento da ponteira, desta vez em ataque pelo meio fundo, o Chile voltou a parar a partida (19/7). E, de bloqueio, o Brasil encerrou o embate com as chilenas (25/9).


Tabela Sul-Americano de Seleções