09 outubro 2011

Osasco vence na estréia contra seleção tailandesa

Federação Tailandesa envia jogadoras da seleção para o clube disputar o Mundial


Por Thiago Leme
Atualizado 09/10 às 17:30


Foto FIVB
O Sollys Osasco enfrentou o Chang, da Tailândia, e  estreou com vitória de 3 a 1 (25/17, 25/21, 24/26 e 26/24). A equipe tailandesa endureceu o jogo após o time brasileiro abrir 2 a 0 no placar e obrigou a disputa do quarto set. Com a vitória, a equipe brasileira garantiu três pontos e vai decidir a liderança do grupo contra o Rabita Baku, nesta quarta às 9h. 


O Chang joga com as jogadoras da seleção da Tailândia, convocadas pela Federação Tailandesa, e, assim como no ano passado, deu trabalho para a equipe osasquense. O time que disputou a edição anterior era outro, o Fenerbrau, mas o selecionado o mesmo. A velocidade, comum na escola asiática, foi a marca da equipe adversária, mas o Osasco não se intimidou e marcou bem as jogadas das tailandesas. 

Depois de chegar ao primeiro tempo técnico com 8 a 6, o Osasco dominou o 1º set, chegou a 16 a 11 na segunda parada e fechou com tranquilidade em 25 a 17.

No segundo set o equilíbrio foi constate, com 8 a 7 e 16 a 14 para o Osasco nas paradas técnicas. Então, o Osasco abriu três pontos em 19 a 16. O Chang, por sua vez, reagiu e empatou o jogo em 20 a 20. A equipe brasileira se acertou depois do tempo do Luizomar e abriu 24 a 20, fechando em 25 a 21 e impondo 2 a 0 no placar. 

No terceiro set, depois de um 8 a 6 na primeira parada, a equipe osasquense abriu 11 a 6 e manteve a liderança no placar até o segundo tempo técnico, com parcial de 16 a 12. O time tailandês reagiu e empatou a partida: 16 a 16. Com moral após a reação, o Chang virou o placar: 19 a 17. O time brasileiro deu troco e empatou novamente em 20 a 20, se acertou e virou a partida para 24 a 21. As asiáticas não se abateram e buscaram forças para virar e fechar o set em 26 a 24. 

O quarto set foi o mais equilibrado. O Sollys fez 8 a 6 no primeiro tempo técnico e as equipes continuaram disputando ponto a ponto até a segunda parada: 16 a 15. A troca de pontos seguiu até o final do set com vitória do Sollys Osasco por 26 a 24 e três pontos na estréia.


As atletas Ivna, Samara e Jú Costa foram os destaques da partida pelo Osasco com 22, 17 e 15 pontos, respectivamente. O Sollys marcou 25 pontos de bloqueio, um verdadeiro paredão, contra apenas 9 das asiáticas. Além disso, o saque do time brasileiro dificultou a recepção adversária e abriu caminho para a vitória na estréia. No bloqueio as principais pontuadoras foram as centrais Adenízia, 7 pontos, e Bia, 6 pontos.


Ivna, destaque da partida, não sentiu a pressão de disputar um Mundial de Clubes. Com 22 pontos, sendo 15 de ataque, 5 de bloqueio e 2 de saque, a jovem atleta foi a maior pontuadora da partida. “Fizemos um ótimo jogo, principalmente, por se tratar de uma estreia. Para os próximos jogos não podemos perder oportunidades como aconteceu no terceiro set, mas o importante é que conseguimos nosso objetivo”, disse. “Nós sabíamos que seria um jogo difícil. Estudamos bem a equipe delas e tínhamos consciência de que elas faziam muitas mexidas. Fizemos dois primeiros sets muito bons porque entramos muito concentradas e focadas cientes do que tínhamos que fazer, mas a gente não pode perder a concentração como ocorreu no terceiro set”, completou Ivna.


A ponteira Samara anotou 17 pontos e, também, se pronunciou sobre a partida. “Conheço bem a escola asiática e sei que é muito difícil. É preciso ter muita paciência porque elas defendem muito bem”, disse. “Não foi um 3 a 0, mas o 3 a 1 foi uma boa vitória para uma estreia de Campeonato Mundial, já que temos jogadoras muito novas e que nunca tinham jogado. Foi um bom resultado, mas temos que seguir concentradas porque o próximo jogo é completamente diferente”, finalizou a ponteira.


Na equipe tailandesa o destaque foi Wilavan Apinyapong, maior pontuadora com 20 pontos, todos no ataque.  


O técnico Luizomar ficou satisfeito com a atuação de suas atletas. “Quero destacar a coragem da nossa equipe de estar aqui e medir forças com uma seleção nacional, já que o time da Tailândia é composto por todas as jogadoras da seleção nacional. As meninas estão extremamente motivadas pela oportunidade de estar disputando um Mundial, que é uma experiência única para algumas atletas. Nós temos a Adenízia e a Camila Brait, que também fazem parte do grupo da Seleção Brasileira, mas até pra elas jogar o Mundial é muito importante porque estão atuando. A Brait com a responsabilidade de liderar a equipe e a Adenízia com a responsabilidade de ser um espelho para Bia e Larissa”, declarou Luizomar. “Não quero ficar preso ao que foi certo e ao que foi errado. Estamos vivendo intensamente cada jogo e, além de buscarmos as vitórias, vamos atrás de experiência e o grupo está muito empenhado. Você vê Bia, Ivna e Samara que são meninas que fizeram parte das categorias de base da Seleção e hoje estão jogando um torneio Mundial adulto, o que só vai ajudar o voleibol brasileiro. As pessoas que torcem pela nossa equipe e estão acompanhando este campeonato vão ver um time extremamente motivado e querendo muito. Minhas atletas querem muito representar bem o voleibol brasileiro”, concluiu o técnico. 


Com a vitória, as brasileiras deram um grande passo para a classificação e jogam contra o Rabita Baku a liderança da primeira fase, com objetivo de evitar um eventual confronto contra o VakifBank Istanbul, da Turquia. A partida será na quarta-feira (12), feriado, às 9h e terá transmissão do Band Sports.

Equipe
Osasco Voleibol Clube 
Karine; Jú Costa, Samara; Adenízia, Bia; Ivna; líbero: Camila Brait. Entraram Heloíza, Ana Maria, Larissa e Silvana.

Pontuadoras do Osasco:
Ivna: 22 (ataque 15; bloqueio 5; saque 2)  
Samara: 17 (ataque 12; bloqueio 4; saque 1) 
Jú Costa: 15 (ataque 13; bloqueio 2)
Adenízia: 12 (ataque 5; bloqueio 7)
Bia: 12 ( ataque 5; bloqueio 6; saque 1)