12 abril 2012

Repúdio a Nestlé: traição ao torcedor do Osasco


A Nestlé aprontou com o torcedor do Osasco Voleibol de novo: cortou os 6 (seis) ônibus que levariam a torcida do Osasco para a grande final da Superliga 2011/12 no Rio de Janeiro. As atitudes e o planejamento ruim do patrocinador acarretam em diversos problemas ao clube e ao esporte.


Em primeiro lugar, vamos aos fatos:
    

Não é a primeira vez que a Nestlé toma esse tipo de decisão, prejudicando equipe (que depende do torcedor para sua motivação), torcida e a própria empresa (que não sabe investir em marketing);

Houve cortes de gastos na área de imprensa, o que prejudicou a cobertura dos jogos fora de casa. Basta ver no site que só há fotos das partidas disputadas no José Liberatti e nos clássicos.

A multinacional se recusa a comercializar o uniforme do time, perdendo em propaganda e em dinheiro.

O péssimo planejamento da marca já causou a extinção de duas equipes no passado: O Sorocaba, que migrou para Jundiaí, que por sua vez foi extinto pouco tempo depois.



Será que é a cidade ou o clube que não dá retorno a Nestlé ou é a mesma que não sabe investir em marketing? E, se não há investimento, como pode a empresa querer retorno?

Não investir no acesso do torcedor ao ginásio nos momentos decisivos, pelo menos, é cortar o vínculo com o clube, perder a chance de divulgar melhor a própria marca e jogar contra o próprio patrimônio, pois tira do time o importante apoio do torcedor. Ou a Nestlé já dá como perdido o campeonato e programa sua saída (provável) ou seus marqueteiros faltaram a todas as aulas da faculdade.

Muitos torcedores haviam dado seus nomes para ver o Osasco no Maracanãzinho e ficaram sabendo que a Nestlé suspendeu o transporte para o Rio de Janeiro. A prefeitura de Osasco, então, cedeu dois ônibus para a torcida. Ou seja, muitas pessoas deixarão de prestigiar e torcer pelo Osasco na final.

Ao torcedor do Osasco, do voleibol e do esporte em geral fica a dica: boicotem a empresa que não cumpre seus compromissos com seus clubes, boicotem a Nestlé e causem a ela um prejuízo muito maior do que a mesquinharia de seis ônibus para o seu torcedor. Não deixem uma empresa destruir um esporte ou um clube. Não é a toa que o Brasil não é e, provavelmente, não será uma potência olímpica. Reaja torcedor.